Depressão

1
sad-black-woman

Silenciosa.

Quando você tem, a maioria não sabe.

“Você? Mas você é tão engraçada, vive sorrindo…não dá pra acreditar que você tem depressão!”

Isso não serve de consolo para um deprimido.

Essa doença quieta aprisiona várias pessoas no mundo todo. Muitas dessas pessoas vivem bem pertinho de você e você nem sabe.

Infelizmente os próprios doentes ainda têm preconceito contra a própria doença.

“Não vou dizer que sofro de depressão. Vão achar que sou louco! E se me perguntarem se tomo remédios? O que eu falo?”

Por outro lado, a sociedade não foi educada para entender que depressão é uma doença perigosa, que pode atingir qualquer pessoa e, ao contrário do que se pensa, você não é louco só por tomar remédios receitados por psiquiatras.

Por falta de conhecimento, muita gente acha que é simplesmente o ato de ficar triste, desanimado, choroso, mas essa doença vai muito além disso!

Depressão não é coisa da sua cabeça! Você não está assim porque não se esforça o suficiente ou porque é preguiçoso!!!

Isso é IGNORÂNCIA! Falta de conhecimento do assunto!

Imagem1

Se você tem depressão, algo no seu cérebro não está funcionando bem!

Imagine nosso cérebro como uma estrada cheia de curvas. Essa estrada precisa estar bem sinalizada e bastante iluminada para que ninguém tenha problemas ao trafegar por ela. Mas às vezes, a maioria dessas luzes estão queimadas e não funcionam como sinalizadores, não iluminam o caminho, não produzem energia, apagam-se. E isso é depressão.

Logo, ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, trata-se de um problema químico do corpo humano, sendo assim, não serão frases entusiasmadas ou livros de autoajuda que resolverão o seu problema.

Você precisa de terapia, psiquiatra e medicamentos.

Eu sei, é difícil aceitar a parte dos medicamentos, mas essa doença não é só tristeza, se lembra? É algo físico, então precisa ser tratada como tal.

Eu sempre tive muita dificuldade em aceitar a parte do medicamento, até que ouvi de um médico: “…se você sofresse de hipertensão não ia ter que tomar remédio? Então, é a mesma coisa! Se tomar remédio faz com que você se sinta bem, por que não tomar?”

Desde então eu rompi com meu preconceito bobo e entendi que isso é uma doença como qualquer outra, do ponto de vista medicamentoso.

Mas por que, além da medicação, é preciso terapia?

Porque você precisa aprender a lidar com essa “filha da mãe”; aprender a ter o controle da doença. Afinal, não há cura, há somente controle.

Portanto, é preciso aprender a pensar diferente, desenvolver estratégias para lidar com os dias mais difíceis e situações com as quais você não consegue. Daí, é preciso se conhecer e se sentir seguro para conviver, inclusive, com pessoas ignorantes e preconceituosas que acham que está doente porque quer, porque gosta de ficar na cama, por preguiça…

E, principalmente, se livrar da culpa, sentimento principal de quem sofre de dessa doença. Ou seja, é preciso entender que não tem culpa em estar doente! Não é sua responsabilidade, não está relacionada com algo que fez no passado e que te deixou assim. Mas pode ser só sua genética ou eventos estressantes vividos por você que sobrecarregaram o seu corpo, porém, mesmo assim, não é sua culpa!

Não é fácil!

Além disso, há dias em que você só quer morrer. Levantar da cama é como ter que escalar o monte Everest todos os dias.

Dói.

images

Você perde amigos, oportunidades, tempo e a cabeça não para um minuto, ouve muitas críticas, recebe olhares tortos, sobram pouquíssimas pessoas para poder contar, o que torna sua vida em um quadro caótico! Mas acredite: se tratar ajuda muito!

Portanto, deixe de lado seu preconceito, a vergonha do que as pessoas vão pensar. Afinal, é a sua vida que está em jogo! Levante-se e vá se arrastando, de pijama, chorando, mas vá ao encontro de ajuda!

Você precisa dela para ser você de novo! Não desista…existe esperança para nós!

Abaixo, uma dica de um vídeo incrível sobre a depressão!

https://www.youtube.com/watch?v=93QIRxdSeDQ

 

Lu Carrilho

Depressão

Sobre o autor

Eliane Serafim

Eliane Serafim é mulher negra, terapeuta capilar (Cabelo e Bem Estar), empreendedora social e criadora do Encrespa Geral, criadora e administradora da comunidade e grupo Amigas Cacheadas no Facebook.

1 comment

  1. Natáia 13 maio, 2017 at 14:32 Responder

    Meus parabéns por abordar um tema tão necessário, um mal tão frequente e que deve atingir a tantos de nós.
    Infelizmente, as pessoas no geral têm muita ignorância no tocante às doenças mentais, em especial a depressão. São perfeitamente capazes de aceitar e entender mau funcionamento do corpo, mas não da mente, porque por “mente” se entende “escolhas”, sendo que o negócio é muito mais complexo.
    Felizmente não tenho depressão (ou ainda não), mas acredito que seja a doença mais difícil de se conviver.

Colocar um novo comentário

DESTAQUE

Big Chop Helena

Transição capilar – rotina e Big Chop   Olá, como estão todos? Vamos falar neste post sobre transição capilar, o início até o grande momento ...